segunda-feira, dezembro 28

BATISMO NA SELVA AMAZÔNICA - Alzira Sterque



Esta história quem me contou foi a missionária Cristina, no ano de 2005, quando ela estava na Venezuela. Ao ouvir tal história não pude conter as lágrimas de alegria, e, assim, passo a relatar o maravilhoso ocorrido com esta serva muito amada do Senhor.

Alguns anos antes a missionária Cristina fazia a obra numa tribo indígena no Brasil, num posto bem afastado, no coração da selva amazônica. Lá ela desenvolvia um trabalho muito lindo no discipulado com crianças, sempre por meio de suas músicas. Um dia, ela e as crianças, numa tarde muito quente, foram tomar um banho no igarapé próximo da aldeia indígena, um costume da região. De repente a missionária foi atingida por um raio. As crianças, aterrorizadas, puxaram-na das águas até a beira do igarapé, então ela desmaiou. Elas foram chamar seus pais, que assim levaram a missionária até sua casa. Aquele posto missionário ficava distante cerca de oito dias de barco do médico mais próximo. Nada havia a ser feito, somente esperar a visita do médico por aquelas bandas, algo muito raro de acontecer.

Imobilizada, com os nervos do corpo atingidos, sem poder falar, sem poder andar, a missionária era cuidada pelas crianças e por suas mães. Como não podia abrir a boca, recebia um caldinho ralo de mandioca com água, que era derramado garganta abaixo, pois seu maxilar estava imobilizado. Com uma alimentação fraca assim, seu corpo foi se debilitando. Assustados com a piora do estado da missionária Cristina, eles resolveram pedir ajuda para uma freira que morava numa comunidade católica próxima. A freira relutou muito em vir, mas finalmente veio. Quando chegou na porta da casa da missionária ela ficou nervosíssima, dizendo não entrar de jeito algum em casa de missionários. Ela viu uma luz muito forte lá dentro e saiu correndo, assustada e gritando. As crianças continuaram por ali, cuidando da missionária que muito amavam. De repente, elas resolveram dar as mãos ao redor da cama de Cristina e, com lágrimas nos olhos, passaram a interceder:

---Jesus, não leve a missionária. Nós a amamos muito, nós precisamos muito dela. Cure ela, Senhor! Cure ela!

Tem coisas que só Jesus faz...

Uma leve brisa passou por aquele quarto... Imediatamente aquelas crianças foram batizadas com o Espírito Santo. E todas elas começaram a dançar ali mesmo, numa alegria maravilhosa; umas falavam em línguas, outras se ajoelhavam em reverência à presença maravilhosa do Senhor. Em seguida, a missionária Cristina levantou-se de sua cama com dificuldade, e chorou de alegria ao contemplar e entender os caminhos que o Senhor faz Seus servos passarem para melhor derramar da Sua glória.

Aplicação: discipulado, crianças, onisciência divina, cuidados divinos, fé, milagres divinos, chamado, amor, preço.

Você poderá ler esta e outras ilustrações no livro DA ARTE DE PREGAR ATRAVÉS DAS ILUSTRAÇÕES - Edição online: http://bookess.com/alzirasterque8

sábado, dezembro 26

"O DIA EM QUE DEUS SE FEZ GENTE"



O dia em que Deus se fez gente eu não sei que da semana foi, mas sei que foi o diz mais importante que já houve.

Parece que foi de noite, pois uns anjos apareceram para uns pastores de ovelhas que estavam no campo, e já era escuro, e eles anunciaram a “boa nova”, o evangelho: havia nascido o Salvador. Foi nesse dia que a melhor noticia foi dada a humanidade perdida:

Glória a Deus nas maiores alturas, paz na terra aos homens a quem ele quer bem (Lc. 2:14).

No dia em que Deus se fez gente uma estrebaria serviu de hospital, um cocho de forragem serviu de cama, e um monte de animais de platéia. Nesse dia Ruben Alves chegou a dizer que “O vento se fez evento, e o feto se fé afeto”. Nasceu o amor que se dá pelo amado.

No dia em que Deus se fez gente, um homem que havia feito uma pergunta muitos anos antes, teve a sua resposta. Ele havia perguntado se Deus teria olhos de carne, se via como o homem, se os dias de Deus seriam como os dias de um mortal, ou se os anos de Deus seriam como os de um homem (Jó 10: 4-50). Nesse dia Deus respondeu a esse homem chamado Jó com um sim. Ele via como homem, sentia como homem, chorava como homem, sorria como homem. Ele era como Jó humano também. Era gente.

O dia em que Deus se fez gente é o maior da história. Pois o problema do pecado foi resolvido, o diabo foi vencido, a salvação foi garantida, o resgate da Igreja estava agora certo (Gl. 4:4-5), era só uma questão de tempo. Agora o ser humano teria um salvador não de um material diferente, sem saber o que era o que os humanos sentiam, não, Ele era feito do mesmo material, era humano também (Hb. 2: 14—18). E todos os que cressem no seu Nome, com uma fé obediente, receberiam a salvação eterna (Jo. 3:16).

No dia em que Deus se fé gente o céu todo dançou, o universo bateu palmas, e até uma estrelinha matreira desceu um pouquinho só para ver: Jesus Cristo.

Feliz nascimento de Jesus para você.

GRAÇA PLENA

domingo, dezembro 13

É NO INFERNO QUE GANHAMOS ALMAS



Após ler este interessante artigo publicado em:
http://bit.ly/R5AhJ
fiquei maravilhada com tudo aquilo que cerca a pregação nas praças públicas. Fui galardoada com esta experiência única, que Deus me reservara, embalada como uma surpresa do céu, em julho deste ano.

Estava em São Paulo, passando pela Praça da Sé quando um pregador de rua me chamou a atenção. Fiquei impressionada pelo fervor, pelo desprendimento daquele homem simples, que pregava com gestos largos, segurando nas mãos uma Bíblia despedaçada. Não teve como não meditar, e me alegrar, na necessidade e na frescura da unção da Igreja Primitiva.Por onde andará esta unção?

Quanto amor pela salvação de almas eu vi ali...
Quanta dedicação e desprendimento (soube mais tarde que ele já estava pregando por cerca de cinco horas, sem café da manhã, nem almoço. "Deus proverá!"Com alegria me falava)
Quanto estudo bíblico (ele falava, com base nos textos bíblicos, sobre a idolatria de Maria, em frente à Catedral da Sé)...
Quanta explanação à luz da Palavra (seus olhos brilhavam)...
Quanta coragem! Quanto mais ele pregava contra a mariolatria, mais alguns passantes o xingavam.

Aquele evangelho, das ruas, sendo exposto na simplicidade das palavras e demonstrado com poder e unção me comoveu.

Também preguei um pouco ali, do meu testemunho de vida. Muitos ficaram estarrecidos. Simples assim, na rua alcancei pessoas que em outro lugar não as alcançaria.

Uma vez um missionário amigo me disse:
---Deus me mandou ir para um determinado país. O meu pastor me falou: Mas aquele país é um inferno!
"Pastor, é no inferno que Deus quer ganhar almas!", ele respondeu.

Precisamos voltar ao Evangelho da Graça, do amor.Precisamos sair do conforto das cadeiras da igreja, dos átrios de mármore. Muitos querem ouvir as boas novas de Cristo. Muitos precisam ouvi-la. Onde mesmo? No inferno das ruas, no frio das madrugadas. Basta uma Bíblia rota, uma pitada de coragem, a perseverança, e principalmente: um profundo e entranhado amor a Deus e obediência ao chamado.

A voz de Jesus continua a ecoar:
---Quero almas! Quero almas!

Minha oração é que Deus abençoe a todos os pregadores de rua: eles desvendaram o segredo, realmente eles sabem que o tempo é curto, e a seara é grande. Meditem sobre isso.

terça-feira, dezembro 8

Para uma vida Feliz e Frutífera.


"Maldito é o homem que confia nos homens, que faz da humanidade mortal a sua força, mas cujo coração se afasta do SENHOR. 6 Ele será como um arbusto no deserto; não verá quando vier algum bem. Habitará nos lugares áridos do deserto, numa terra salgada onde não vive ninguém. 7 "Mas bendito é o homem cuja confiança está no SENHOR, cuja confiança nele está. 8 Ele será como uma árvore plantada junto às águas e que estende as suas raízes para o ribeiro. Ela não temerá quando chegar o calor, porque as suas folhas estão sempre verdes; não ficará ansiosa no ano da seca nem deixará de dar fruto".


Olhando para este texto podemos ver a grande diferença, o grande abismo que existe entre os que confiam na humanidade e os que confiam no Senhor. A primeira coisa que fica clara: Quem confia em Deus é bendito e quem confia na humanidade, maldito. Tudo bem, esse argumento nada serve para o evangelismo além de não ser muito esclarecedor.
A comparação continua. O homem que confia em Deus é comparado com uma árvore na beira de um ribeiro, enquanto o que confia na humanidade como um arbusto no deserto. Essa comparação é bem forte. Esqueça um pouco os seus afazeres de logo mais. Ei, concentre-se aqui. Deixe sua mente passear um pouco por essa parábola. Vá até o deserto, sinta o calor e o sol ardendo sobre si. Um vento seco e cortante enche seus olhos de areia e sua boca seca arde de sede. Você olha ao redor e vê o que? Vê cactos, e um pequenino arbusto. Deus criou as plantas do deserto com peculiaridades, e ao passar dos anos elas ainda mais se adaptaram. O que você vê agora são plantas que tiveram suas folhas transformadas em espinhos, para que a sudação não levasse embora toda sua água. Mas esse mecanismo de sobrevivência custou caro. A planta que agora você vê tem aspecto asqueroso, seus espinhos parecem lanças dizendo “fique longe de mim”. Você caminha um pouco, e fica com a perna presa em um espinho de uma planta e seu braço é rasgado por outro... Queriam as plantas do deserto lhe ferir? Não, queria apenas se proteger.
Aqueles que põem sua confiança em homens são assim. Gastam muito de seu precioso tempo criando mecanismos de defesa, se adaptando a sequidão deste mundo. E por isso temos tantos desentendimentos, pois quem é rasgado por um espinho, vai entender isso como uma agressão e não como a defesa de outrem. Gastam suas energias acumulando para si mesmos, como os cactos acumulam água. E por que? Porque não sabem quando a humanidade dará suas chuvas. Assim é o homem que confia no homem. De tanto se proteger fica asqueroso, de tanto medo da escassez fica insensível à necessidade alheia. Por sua excessiva preocupação não tem tempo para crescer e dar frutos. Ao contrário do que diz o texto sobre quem confia no Senhor, o qual mesmo no ano da seca produz fruto. E como esse peculiar arbusto de Jeremias não produz fruto, não vive ninguém ao seu redor. Você se aproxima desse arbusto, faminto sedento e tudo que encontra são galhos ressequidos. Quem afasta a sua confiança do Senhor e confia em si mesmo, ou na humanidade, seja pelas vias da ciência, da tecnologia, da razão... Será uma pessoa infrutífera. Poderá descobrir a cura do câncer, mas quem se lembrará de câncer quando todo o corpo estiver ardendo nas chamas do inferno? Não, não é fruto verdadeiro o produzido por quem se aparta do Senhor, é apenas mais um espinho, mais uma defesa, mais um mecanismo de segurança para os tempos de seca... Dinheiro para gastar quando está deprimido, álcool para relaxar, tranquilizante para dormir, drogas pra curtir, promiscuidade para ter prazer... Espinhos, espinhos, espinhos... Galhos retorcidos e soberba, assim é homem que não confia no Senhor. Tão preocupado, nem consegue mais enxergar os pequenos milagres, as belezas do dia a dia (v.6). Não sente mais prazer na rosa que lhe sorri ou no colibri que lhe cumprimenta. Nem o gotejar da chuva lhe tranquiliza e os raios e os trovões não lhe trazem excitação alguma...
Permita-me ainda falar brevemente daqueles que confiam no Senhor. Ah! Estes são como árvores junto às águas. Como confiam no seu redentor, não precisam se preocupar, e usam suas energias para crescer, tornam-se frondosas e de folhas carnudas. Quem procurar lugar à sobra encontrará. Podem produzir fruto e abrir as folhas para receber toda luz do sol e assim ficarem cheias de energia, de vida! Seus frutos vez por quando caem na água e fazem os peixes saltarem para comê-los, os macacos e os pássaros sentam em seus galhos para comer seus frutos. Eu quero ser como essa árvore, e você?
      Precisamos entender que quando levantamos mil defesas ao nosso redor, quando pensamos que tudo e todos desejam nos agredir e por isso nos armamos até os dentes, a impressão que passamos é de que nós é que estamos nos preparando para a guerra. De que nós é que estamos agredindo. Comecemos então a abolir as palavras ásperas, o egoísmo, as tramas, as trapaças, a avareza. Façam de suas “espadas arados, e de suas lanças, foices” (Is 2.4). O homem se cercou e se armou contra si mesmo. O homem que confia na humanidade confia de forma contraditória, pois sua confiança o leva a construir fortalezas... Confia, desconfiando... Eu quero aprender a confiar no Senhor, parar de machucar quem de mim se aproxima. Abaixar as armas e me preocupar em produzir frutos e sombra, para que quem de mim se aproximar possa encontrar refúgio e segurança, ao invés de espinhos.

domingo, dezembro 6

O Deus do Impossível não Desistiu de Mim!

Kayke Pergamine de Lemos - Três meses de lutas intensas. Mas Deus operou o milagre!

Desde seu nascimento até sua alta hospitalar, o pequeno Kayke passou por estágios gravíssimos, mas a mão de Deus estava sobre ele

Quando se confirmou a gravidez, por meio de exames, ficamos surpresos, pois já tínhamos dois filhos: a Myrian, de 13 anos, e o Patrick, de nove anos, e não intencionávamos ter mais filhos. Ficamos cerca de dois meses assimilando a idéia, pois estávamos passando por grandes dificuldades, mas cremos que Deus estava nos preparando para as batalhas que viriam.

A gravidez da Flavia foi de alto risco. Por vezes, eu corria ao hospital de Cotia (SP) para socorrê-la, com enjôos, dores no abdômen, nas costas, entre outras coisas. Devido à falta de alguns exames que deveriam ter sido realizados, para diagnosticar dificuldades do feto, nosso bebê acabou nascendo antes do tempo normal. Numa das idas ao hospital, o médico constatou sofrimento fetal, pois verificou-se que a placenta não estava enviando nutrientes para o Kayke havia algum tempo e ele estava com baixo peso e fraco. Seu batimento cardíaco já ultrapassava os 200 batimentos por minuto (taquicardia), o que é um dos sintomas do sofrimento fetal. Assim, na manhã de 22 de julho de 2009, nasceu nosso pequeno grande Kayke, pesando 1.470 gramas e medindo 39 centímetros.

Pela misericórdia de Deus, ele veio ao mundo. Nasceu sem problema algum, nem precisou de aparelho de respiração, pelo menos nos primeiros dias. Apresentou no início níveis instáveis de glicemia, ou seja hipoglicemia, o que é comum em prematuros, porém se os níveis baixam muito e com frequência, corre-se o risco de seqüelas cerebrais. Para nosso desespero, nos primeiros dias, ele apresentou índices baixíssimos, depois aumentou, apresentando hiperglicemia, até se normalizar.

Muitos clamando ao Deus vivo

Após alguns dias na UTI, ele teve uma infecção moderada no intestino, mas no meio desse tratamento, houve uma nova complicação, ele teve uma hemorragia intra-craniana e, consequentemente, uma convulsão, que também poderia deixar seqüelas. A esta altura, já não sabíamos mais o que pedir a Deus, estávamos em desespero. Muitas pessoas começaram a nos sustentar em oração: nossas igrejas de São Paulo, Cascavel (PR), Campo Grande (MS), Itapema (SC), Votuporanga (SP), Salvador (BA), toda a galera do chat promessista, pastores que não conhecemos, amigos, familiares, irmãos de outras denominações, inúmeras pessoas clamando ao Deus vivo, intercedendo por um grande milagre, o que nos confortava o coração e dava-nos força para prosseguir.

Em meio ao tratamento da infecção intestinal, veio a pior notícia: uma bactéria multirresistente (que não cede facilmente aos antibióticos) se alojou no intestino do Kayke e foi para a corrente sanguínea, contaminando todo o seu organismo, então o estado dele passou a ser gravíssimo. No dia 18 de agosto, solicitamos ao Pb. Inácio, da IAP em Capão Redondo (SP), para ungi-lo, depositando Nele nossa fé e confiança.

Dois dias depois, o médico nos falou da possibilidade de uma cirurgia, porém o estado dele não era favorável, pois ele pesava apenas um 1,5 quilo e estava muito debilitado, mesmo com várias transfusões de sangue, plasma e plaquetas. Mas o médico salientou que, se o operasse, teria uma chance mínima, caso contrário, a morte era certa. Ele disse que somente um milagre o tiraria com vida do centro cirúrgico... O chão se tornou um abismo sem fim, uma tristeza profunda tomou conta do nosso coração, pois não enxergávamos luz nenhuma.

Era perto da meia-noite, minha esposa compartilhou comigo algo que o Espírito Santo colocou em sua mente, sobre a ressurreição de Lázaro e orou assim: “Senhor, Senhor, console nosso coração, nos dê forças para enfrentar mais esta batalha e nos ajude a entender o seu propósito em nossas vidas. Senhor Jesus, que ressuscitou Lázaro após quatro dias, nosso filho não está morto, mas ele precisa de restauração, e nós cremos na tua palavra, na tua misericórdia, portanto Senhor, entregamos nosso filho nas tuas mãos, que se cumpra a tua vontade e não a noss. Mas ainda digo, Senhor, como disse o salmista Davi, no capítulo 30:9: Que proveito haverá no sangue dele se ele descer a cova? Porventura te louvará o pó? Anunciará ele a tua verdade? Ouve, Senhor, e tem Compaixão!”

Naquele momento, houve paz em nosso coração, apesar do momento que estávamos vivendo. Poucos minutos depois, o médico resolveu fazer a cirurgia às pressas, pois o Kayke estava muito fraco e a infecção poderia romper as barreiras do intestino, o que poderia ser fatal se atingisse o abdômen. Uma médica que o acompanhava nos confortou, dizendo que via no Kayke uma força vital muito grande, e nós lhe dissemos que esta força que ela via nele era o Espírito Santo, o sustentando a cada instante.

Amamentando pela primeira vez

A cirurgia durou duas horas e, graças ao bom Deus, foi muito bem sucedida. Ele perdeu parte do intestino, precisou colocar uma bolsa de colostomia, mas estava vivo e, para nós, era o que importava. A partir daí, tínhamos a certeza de que Deus estava cuidando dele, como a “menina de seus olhos”. Ele permaneceu 25 dias em jejum, apenas com o soro, e quando minha esposa pode amamentá-lo foi, para nós, como se tivéssemos ido ao céu! A emoção foi tão grande que até os funcionários que cuidavam dele se emocionaram conosco e nós agradecemos a Deus por aquele momento tão sublime. No dia 5 de outubro, ele passou por mais uma cirurgia, para retirar outra parte do intestino e fazer a reconstrução.

Depois da reconstrução e até sua alta hospitalar, ele teve outras duas infecções, com grandes possibilidades de infeccionar alguma parte do organismo. Assim, ele teve infecções no sangue e na urina mas nosso Deus, misericordioso e fiel, mais uma vez agiu controlando aquele quadro. Finalmente, no dia 27 de outubro, Deus nos presenteou quando pudemos levá-lo para a casa, foi uma festa em todo o hospital!


Aos quatro meses de idade, Kayke pesa cerca de 3,5 quilos e é um testemunho do milagre de Deus. Soubemos que as chances de sobrevivência para bebês que apresentam o diagnóstico que ele teve são de apenas 20%, mas o Kayke vem lutando pela vida, com a ajuda de Deus, desde o ventre de sua mãe.

Depois de tudo o que ele passou, não há vestígios de nada no corpinho dele e os médicos já suspenderam praticamente toda a medicação, para glória de Deus! Quando ele crescer, saberá que é filho do Deus vivo, que operou milagres como vemos na Bíblia e opera ainda hoje, quando entregamos tudo em suas mãos. Glórias a Deus nas alturas, pelos séculos do séculos. Amém.

Veja o relatório médico.


Irmãos Claudinei de Lemos e Flávia Cristina, da IAP em Capão Redondo (SP).


***

Fonte: Portal IAP

quarta-feira, dezembro 2

terça-feira, novembro 24

Devocional do Elias - Onde está você?

Onde está você?
www.eliasrodrigues.com.br (cadastre-se)

Mas o Senhor Deus chamou o homem, perguntando: Onde está você? Gn 3:9

Todos nós conhecemos, lemos ou escutamos sobre a história da criação.
Deus com muito amor criou o homem, a sua imagem e semelhança. Dotou das semelhantes características que o próprio Deus tem; Colocou no homem o amor, alegria, inteligência, criatividade, e além de todas estas coisas o Senhor soprou a vida no homem, e junto com este ar de vida o Senhor injetou em cada um o Seu Espírito Santo.
Mas o homem se afastou de Deus através do pecado, traiu Deus pelas costas através da desobediência e com isso ao invés da felicidade, o homem se torna cheio de angústia, e ao invés da alegria torna-se cheio de tristeza, e isso faz ele se esconder de Deus.
Mas o amor de Deus nunca muda, e mesmo assim o Senhor vem procurar o homem e diz: Onde está você? Onde está o homem cheio de amor que eu criei? Onde está o homem cheio de coragem que eu escolhi? Onde está o homem cheio de vontade de estar perto de mim?
É exatamente isso que o Senhor lhe pergunta hoje: Onde está você?
Muitas vezes os nossos erros nos fazem pensar que o Senhor se afasta de nós, mas na verdade nós que se afastamos Dele com o pensamento de que Ele não nos ama mais.
Mas não deixe isso perturbar sua mente.
Deus está te chamando para voltar a estar perto Dele, e a fazer as coisas junto com Ele.
Ele pergunta: onde está você?

Deus abençoe muitíssimo.

Abraços.

Cadastre-se no site e receba devocionais diariamente. www.eliasrodrigues.com.br

domingo, novembro 15

Depois do fim


Olá amado leitor. Esse mês foi muito atípico para mim. Tive contato com a morte como em nenhum mês anterior. Em um acidente de trânsito, faleceram 3 familiares de um grande amigo meu. Em seguida, realizamos um culto evangelístico no cemitério em virtude da oportunidade de atingir muitas vidas com o evangelho no dia 02/11. Nessa data, o tio de alguns amigos meus veio a falecer e no dia seguinte estava pregando na casa dos enlutados. Então nessa sexta, enquanto me preparava para pregar, minha avó paterna veio a falecer. Nunca tantas mortes tinham se passado ao meu redor. Meu coração experimentou um mês diferente e minha cabeça dói até agora. Mas tudo isso me levou a refletir em muitas coisas e lhe convido a me acompanhar nesse momento. Abra sua Bíblia em Eclesiastes capítulo 7 e leia dos versículos 1-8.
No primeiro versículo o sábio já nos confunde, dizendo que o dia da morte é melhor que o dia do nascimento. Segue afirmando que é melhor ir à uma casa onde a luto do que uma onde existe festa! Isso é assustador a primeira vista. Prossegue afirmando que “a tristeza é melhor que o riso” e que “o rosto triste melhora o coração”. Encerra nosso trecho afirmando que o fim das coisas é melhor do que o começo.
Porque tudo isso? Porque quando vamos a uma festa, enchemos nosso coração de alegrias e prazeres deste mundo. Prazeres que muitas vezes não são pecado. Comemos, conversamos, contamos piadas, curtimos uma boa música. Enchemo-nos de alegria. Mas nossos sorrisos estão repletos de falsidade. Depois de dar boas risadas com um amigo chegamos a casa e falamos mal dele para toda a família... Depois de sorrir diante dos amigos, chegamos em casa e brigamos com nossos entes mas íntimos...
Quando vamos a um velório é diferente. Sentimentos de reflexão e compaixão surgem e nos tornamos mais empáticos. Não a mera simpatia de uma festa, que nada mais é do que sentir junto às alegrias. Mas empatia sentir-se como no lugar do que sofre. Ao ver um rosto amado em um caixão, ao ver os entes desesperados a chorar somos convidados por Deus a meditar. Meditar em como temos vivido e como temos marcado a vida das pessoas que estão ao nosso redor.
Talvez você muitas vezes tenha chegado em casa e descarregado seus problemas sobre seus familiares, ao invés de antes celebrar a família! Geralmente deixamos de expressar nosso amor por aqueles que de fato mais amamos. Passamos uma vida com nossos pais, cônjuges, filhos, avós. Passamos a vida na companhia de nossos familiares e muitas vezes os privamos de nossos abraços, nossos beijos... Isso está errado. É hipocrisia viver bem com os de fora e não com os de casa (1Tm 5.8). A morte nos leva a refletir que hoje estamos aqui e amanha podemos partir devendo aquele abraço, aquele presentinho, aquela palavra de honra.
A morte nos leva a refletir na pequenez de nossa vida, e perceber que o que vale é como as coisas terminam e não como começam (Ec 7.8). Muitos começam bem seu andar na fé e depois vão esfriando. Muitos começam o casamento no maior love e depois de algum tempo estão se matando. Alguns começam projetos, sonhos e nunca terminam nada. Prometem largar o cigarro, a bebida, e nunca largam. Começar geralmente é fácil. É fácil começar a correr uma maratona, mas terminar é o objetivo. Como a estadia na terra é curta, frágil e em segundos alguém que estava aqui já não mais está.
Agora, por favor siga comiga para 2Sm 12.18-24
Davi cobiça a esposa de seu oficial Urias, chama-a e tem intimidade com ela. Ela concebe. Então Davi chama Urias para frente de batalha e este morre. Depois que morre Urias, Davi se casa com aquela mulher, Bate-Seba. Em seguida, Deus faz algo maravilhoso. Ele chama o rapaz que estava no ventre daquela mulher para um ministério poderoso, que impactaria nações! Deus escolhe usar aquele bebê para trazer arrependimento ao coração de Davi! Deus resolve impactar a vida do rei e logo das gerações seguintes... Até os nossos dias, através de um bebê! Que ministério poderoso foi o desse menino, que em poucos dias de vida impactou gerações e até hoje contamos a sua história.
         A morte entrou no mundo por causa do pecado. Mas até a morte Deus usa para trazer vida! Às vezes Deus precisa matar alguns de nossos sonhos! Precisa matar algumas das coisas que tanto almejamos para que junto com elas ele possa matar muita coisa ruim dentro de nós. Para “matar” nossa culpa, teve que matar Seu próprio Filho. Algumas vezes para se matar um inquilino, precisa-se matar a própria árvore!
         E para matar nossos pecados, precisamos deixar morrer nossa velha natureza com tudo que ela tem. Com seus orgulhos, sua soberba... Todos possuímos a triste tendência de querer conquistar as coisas sempre por nossas próprias forças e dificuldade para entender que algumas coisas somente podemos receber e jamais conquistar!
         Estando viva a criança vivia Davi chorou e se entristeceu. Enquanto a criança vivia Davi nem comia. Mas depois que a criança morreu ele se levantou, perfumou-se, comeu e bebeu. E mesmo debaixo das críticas entendeu que não podemos deixar que o inimigo nos enterre junto com os defuntos. E o que ele fez então? Todos podem imaginar Davi andando com o povo, recebendo abraços... Mas Davi foi consolar sua esposa, e teve um relacionamento íntimo com ela: NO DIA DO LUTO! Por mais que pareça uma loucura, Davi fez amor com sua esposa no dia do falecimento de seu filho!
         Davi já entendia o que dizia Jesus: Mt 18.22 “21E outro dos discípulos lhe disse: Senhor, permite-me ir primeiro sepultar meu pai. 22Replicou-lhe, porém, Jesus: Segue-me, e deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos.”
         Talvez você não tenha perdido nenhum parente nos últimos dias. Mas com certeza, a vida já assassinou muitos de teus sonhos. E talvez o próprio Deus tenha matado alguns de teus sonhos. Mas hoje, podes em intimidade com o senhor, conceber novos rumos para sua vida! Poderá ficar grávido de projetos maravilhosos que o Senhor tem para sua vida!
         Se pessoas, sonhos, projetos... Se aquilo ou aquele que te dava esperança de um futuro melhor já não mais existe, busque no Senhor a direção que deverá seguir daqui para frente. Para que na sua vida, o fim das coisas possa ser melhor do que o começo, e revele o Cristo que habita em ti, sendo este sempre sinônimo de um novo começo!

quinta-feira, novembro 12



Para conseguir encher a sua igreja, encha-se primeiro as pessoas do altar; para aquecer a igreja basta acender o fogo nos altares.
H. I. Lehman

terça-feira, novembro 10

Agentes do Reino


 Sidinei Bühler Kauer
Salmo 34.12-15. “12 Quem de vocês quer amar a vida e deseja ver dias felizes? 13 Guarde a sua língua do mal e os seus lábios da falsidade. 14 Afaste-se do mal e faça o bem; busque a paz com perseverança. 15 Os olhos do SENHOR voltam-se para os justos e os seus ouvidos estão atentos ao seu grito de socorro”.

       Talvez você que está lendo este artigo muitas vezes já despertou com o desejo de nem sair do quarto. É uma sensação horrível! Muito melhores são os dias em que acordamos com vontade de desbravar o mundo! Os dias em que parece que existe uma força dentro de nós que grita por ação, por emoção e nos rejubilamos de alegria! O Salmista nos pergunta: “Quem de vocês quer amar a vida e deseja ver dias felizes”? Ora, todos nós queremos! Todos nós queremos ser tão apaixonados pela vida que acordemos cada dia mais felizes e animados que o anterior! Todos queremos viver intensamente a vida, e isso só é possível se formos apaixonados pela existência, até porque, “uma vez que existimos a inexistência é uma impossibilidade”(A. Ramos)...
       Agora a revelação aqui é impressionante. Aquele que quer ser um amante da vida precisa “guardar a língua do mal e os lábios da falsidade”! Ora, aquele que guarda a língua, guardou antes o coração (Tg 1.16)! Não devemos simplesmente parar de falar com dolo para não prejudicar outrem e também não somente porque é pecado. Precisamos ser “bons” porque somente aqueles que enchem seu coração de bondade e refreiam sua língua do mal conseguem ter amor pela existência. E se não temos amor pela existência, não temos amor a Deus, porque tudo que existe, nele subsiste (Cl 1.17). Logo, quando somos apaixonados pela vida, no sentido de levar a sério o existir, de viver intensamente e fazer valer a pena a existência, estamos dizendo a Deus: “Senhor, valeu a pena! O que o Senhor fez é muito bom (Gn 1.31)!”. E ao entrarmos em concordância com o criador de todas as coisas, nos alinhamos com o canal de seu favor, e as bênção que ele já tem derramado, podem chegar até nós! Mas essa paixão pelo ‘ser’ só surge no coração daqueles que se afastam do mau, logo, o mau é o que existe de mais próximo da inexistência. E a inexistência é uma negação da criação de Deus, que só o é em tese, pois o que não existe nada pode confrontar...
       Mas o afastar-se do mal é apenas meio caminho, é preciso fazer o bem! Fazer o bem é o princípio da existência, pois se Deus nos fez, e nos fez bem feitos, nos fez para algo e esse algo, seja o que for, é bom! Não existe como agradar há Deus sem fazer o bem. Não há como amar a existência e ficar passivo a ela! Amor evoca interação, e a interação dos apaixonados pela vida e pelo Deus da Vida é o bem (Tg 4.17)!
       Em seguida, aparece o tema do AT, Justiça. Diz que devemos buscar a paz com perseverança, e completa dizendo que os olhos do Senhor voltam-se para os justos. Por quê? Porque não existe paz sem justiça!
       Se dissermos “venha o teu Reino”, temos que entender que um dos princípios que regem um reino é a justiça! É o código de justiça daquele reino. Não tem como trazermos o Reino de Deus para nosso meio se não trouxermos a Justiça do Reino! Não existe como viver na “Paz do Senhor” que usamos até como saudação se antes não tivermos justiça. Em nenhum reino da história a paz veio sem justiça, como que de forma mágica, e nem virá no Reino de Deus. Jesus é um justiceiro (2Co 5.21)!
       Não haverá paixão pela vida e paz em uma igreja onde as diferenças sociais, e pior, a indiferença em relação ao próximo seja tão gritante! Não haverá paz em um mundo de juros, lucros abusivos e desperdício! Não haverá paz em um mundo onde uns tem tempo e dinheiro para futilidades enquanto outros morrem de fome! E se não tem bem, não existe paixão pela existência. E sem paixão não existe justiça e sem justiça não existe paz e sem paz não existe bem!
       Ou levamos a sério o Cristianismo como um todo indivisível e trabalhamos pela Justiça de Deus ou viveremos na miséria, às portas do Reino de Deus! Olhando para o lado de dentro do muro, como quem espia por um furo na parede, esperando que Jesus volte para que entremos em Seu Reino. Eu prefiro que o Reino venha, já antes de Jesus voltar, porque foi o que Ele ensinou na oração do Pai Nosso. Em Gn 28.12-16 vemos o sonho de Jacó. E nesse sonho aparece uma escada que vai ao céu. Os anjos sobem e descem por ela, mas o Senhor não! O Senhor estava com Jacó, na terra (v. 16). Eu te desafio a ser um agente de Implantação do Reino de Deus na Terra. Um apaixonado pela vida, que faz o bem em Justiça. Você topa? Que Deus nos abençoe.

 Sidinei Bühler Kauer

segunda-feira, novembro 9

Ilustração: SABEDORIA DO ALTO



Alguns cientistas tailandeses, em 2007, descobriram na casca de ovo de crocodilo uma rica fonte de hidroxiapatita, uma substância de cálcio empregada em implantes dentários e em tratamento de fraturas ósseas.
A descoberta foi feita por uma equipe de farmacêuticos da Universidade de Kasetsart, após uma pesquisa de quase três anos com ovos procedentes dos maiores criadores de crocodilos da Tailândia.


No Livro de Gênesis, capítulo 1, versículo 31, parte a, está escrito:
E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom;...
Tudo o que Deus fez é muito bom. Tudo foi feito para nós, para o nosso uso, para o nosso bem-estar, enquanto estivermos aqui, na terra. A sabedoria divina excede a sabedoria humana. Muitos se prostram aos pés da ciência, como se ela fosse um deus deste mundo, que possui respostas para tudo. Mas não é exatamente assim. A resposta está aí: todos os dias os cientistas do mundo inteiro descobrem algo para o nosso bem. Deus usa os cientistas para descobrirem coisas (que Deus já havia planejado na Criação) para o nosso bem. Esta é a prova da excelência divina, a prova da sabedoria divina, muito mais superior do que tudo e todos. Esta é a prova do grande amor de Deus por cada um de nós. Louvemos ao Senhor a cada dia mais, porque Ele tem cuidado de nós.

sábado, novembro 7

VOLTEMOS AO EVANGELHO


Joelson Gomes

Vivemos em meio a
um "evangelho" estranho as Escrituras. Já não se sabe mais o que é um evangélico e em que um evangélico acredita. Pregadores de rádio e TV têm repetido SUAS fórmulas apelativas e SEUS evangelhos, mas, têm esquecido do evangelho da Biblia. O desconhecimento das pricipais doutrinas cristãs salta a olhos vistos e os termos da salvaçao ninguém mais conhece. Lembrando que o evangelho biblico é a única coisa que liberta, escrevi o que vai abaixo.


1- REGENERAÇÃO - A regeneração é uma obra autônoma e distinta de todas as outras ações do Espírito Divino. Ela deve ser cuidadosamente diferenciada da conversão e da santificação; e tem de ser entendida como a base e a fonte destas. Isto porque é necessário existir uma renovação espiritual do homem, por completo, antes que a alma passe ao estado de adotado, justificado e santificado. É a regeneração operada pelo Espírito de Deus que capacita o ser humano a ter fé para a conversão. Ela vivifica o ser humano morto nos pecados, abre-lhe os olhos para o evangelho (Ef. 2:1-3, 6-9; Tt. 3:5; 1Pd. 1: 22-23).


2- NOVO NASCIMENTO - Como descendente de Adão e Eva aqui o ser humano traz a natureza carnal, corrompida. Para que seja aceito na família de Deus ele tem que matar esta velha natureza, ou seja, nascer de novo. Em Cristo , quando tem fé nEle, o ser humano participa figurativamente de sua morte, assim, é como se o ser humano morresse com Cristo matando a sua natureza carnal. E também participa de sua ressurreição, então, como se levantasse uma nova pessoa. Tudo isso acontece pela fé e é a condição para se ter a vida eterna (Jo. 3). Este novo nascimento é operado pelo Espírito Santo que pega a Palavra de Deus e a aplica ao coração do ser humano. Este é o simbolismo da água (a palavra de Deus Jo. 6: 63; 13:10; 15:3; Ef. 5:25-26). Só assim o ser humano passa a ser filho de Deus (Jo. 1:11-13).


3- CONVERSÃO - É ato de voltar do pecado e dos interesses próprios para Deus, mediante a fé em Jesus Cristo, como resultado de alguma proclamação cristã das Sagradas Escrituras, do evangelho (Rm.10:17). Nas pregações bíblicas era enfatizado que o ser humano deveria se converter, mudar o rumo de sua vida (At. 3: 19).


4- JUSTIFICAÇÃO - A justificação é o ato da graça de Deus pelo qual nos declara justos, perdoa todos os nossos pecados (Rm. 3: 24) e nos aceita como justos aos seus olhos (2 Co. 5: 21). A justificação libera o crente de todas as acusações e de toda sentença que o tribunal divino deveria pronunciar contra ele. O amor de Deus é a origem de tudo, pois somos justificados por sua graça (Rm. 3:24), e o meio de fazer isso é o sangue de Cristo (Rm. 3: 25; 5:9). Na cruz Cristo levou nossos pecados e sofreu o castigo que eles mereciam, mas a prova de que estamos libertos dos pecados foi dada por Sua ressurreição (Rm. 4:25). Tudo isso é feito somente na base da justiça de Cristo imputada a nós (Rm .5: 19), e recebida unicamente pela fé (Gl. 2: 16; Fp. 3: 9).


5- PERDÃO - Todos os seres humanos estão em uma situação de culpa diante de Deus (Rm. 3:23; 6:23). Tanto ignorantes quanto sábios. E porque é pecador o ser humano precisa de perdão e é esse o sentido do evangelismo, anunciar o perdão dos pecados. Jesus Cristo morreu pelos pecados dos resgatados e sofreu o completo castigo que eles mereciam. Por isso Deus é justo ao receber como perdoados aqueles que vêm a Ele por intermédio de Jesus Cristo. Sua justiça está satisfeita em relação as faltas deles. Deus não perdoa do mesmo modo que os homens, não passa por cima dos pecados com indulgência, mas antes, em seu Amor, enviou seu Filho para ser a propiciação por eles. Este sacrifício de Jesus é único (Hb. 9:6; 10: 18), e todos os convertidos estão diante de Deus num estado de eterno perdão, é o perdão fundamental. Agora podemos pecar, quando isso acontece nossa posição não é modificada, mas a comunhão com o Pai é interrompida, ela só é reatada quando confessamos nossos erros (1Jo. 1:9). É o perdão governamental.


6- REDENÇÃO - Redenção é o pagamento de um resgate em favor de alguém. O ser humano é aqui escravo do pecado (Jo. 8:34), por isso precisa ser liberto do mesmo. Está debaixo do pecado significa está sujeito a ele, está debaixo do seu poder. Cristo suportou o castigo que nossos pecados mereciam, e com isso a ira de Deus contra eles foi esgotada. Estamos, pois, justificados. Por outro lado, Cristo deu sua vida em resgate pala nossa (Mt. 20: 28; 1Tm. 2:6), este é o pagamento pelos nossos pecados, de modo que somos resgatados. Teríamos que pagar a divida originada pelos nossos pecados com a nossa própria vida, pois o salário do pecado é a morte (Rm. 6:23). Mas Cristo deu a sua em nosso lugar. Como Ele era sem pecado, não tinha de passar pela morte, mas podia morrer por outros que eram pecadores, a saber, dar a sua própria vida como resgate por eles. É a redenção pelo seu sangue (Ef. 1:7).


7- RECONCILIAÇÃO - O Novo Testamento apresenta a reconciliação principalmente em quatro passagens (Rm. 5:10-11; 2 Co. 5:19; Cl. 1: 19-22; Ef. 2:16). O ser humano está afastado de Deu por causa do seu pecado. Este afastamento e uma conseqüência da Queda no pecado e logo ficou evidenciado na conduta de Adão e Eva em se esconderem de Deus (Gn. 3). Assim, nesse estado o ser humano e inimigo de Deus e precisa de reconciliação (Rm. 3: 11; 5:10). O fundamento da reconciliação é Jesus Cristo e sua obra na cruz. Esta e uma obra de Deus e o ser humano é apenas beneficiário da mesma.


8- ADOÇÃO - É o ato da livre graça de Deus (1Jo. 3:1) pelo qual somos recebidos no número dos salvos e temos o direito a todos os privilégios dos filhos de Deus (Jo. 1:12; Rm. 8:17). Como seres humanos aqui antes da conversão somos criaturas de Deus, após a conversão passamos a ser filhos de Deus por adoção (Rm. 8:15-17).


9- SANTIFICAÇÃO - O significado essencial de santificação é “posto à parte, separado”. Os cristãos são santificados em Cristo. A santificação tem dois sentidos:

a- No primeiro sentido, o ato, feito de uma vez por todas, pelo qual o crente é posto à parte para Deus. Cada cristão na conversão foi separado para Deus. Esta a santificação posicional (1Co. 1:2; 6:11; Hb. 10: 10).

b- E em seu segundo sentido a santificação é um fato progressivo. Diz respeito ao processo ativado pelo Espírito Santo, pelo qual o crente, na sua vida prática, deve tornar-se cada vez mais puro e separado do mal (2 Ts. 2:13; Hb. 12: 14; 1Pd. 1: 15;2:9).



10- GLORIFICAÇÃO – Diz Wayne Grudem: Podemos definir glorificação da seguinte maneira: A glorificação é o passo final na aplicação da redenção. Ela acontecerá quando Cristo retornar e ressuscitar dentre os mortos os corpos de todos os crentes de todas as épocas que morreram e reuni-los às respectivas almas, e mudar os corpos de todos os crentes que permanecerem vivos, dando assim a todos os crentes ao mesmo tempo um corpo ressuscitado perfeito igual ao seu. Quando Cristo nos redimiu, ele não redimiu apenas nosso espírito (ou alma) — ele nos redimiu como pessoas completas, e isso inclui a redenção de nosso corpo. Portanto, a aplicação da obra redentora de Cristo a nós não será completa até que nosso corpo seja inteiramente liberto dos efeitos da queda e trazido ao estado de perfeição para o qual Deus o criou. De fato, a redenção de nosso corpo ocorrerá somente quando Cristo retornar e ressuscitá-lo dentre os mortos. Mas, no tempo presente, Paulo diz que esperamos pela “redenção do nosso corpo” e então acrescenta: “Pois nessa esperança fomos salvos” (Rm 8.23,24). O estágio da aplicação da redenção em que receberemos por fim o corpo ressuscitado é chamado de glorificação. Referindo-se àquele dia futuro, Paulo diz que participaremos da glória de Cristo (cf. Rm 8.17). Além disso, quando Paulo traça os passos na aplicação da redenção, o último que menciona é a glorificação: “E aos que predestinou, também chamou; aos que chamou, também justificou; aos que justificou, também glorificou” (Rm 8.30).


GRAÇA PLENA

sexta-feira, novembro 6

Devocional do Elias - Tomando Decisões

Tomando decisões
Escrito por: Elias Rodrigues
www.eliasrodrigues.com.br

E aconteceu que naqueles dias Jesus subiu ao monte a orar, e passou a noite em oração a Deus. E, quando já era dia, chamou a si os seus discípulos, e escolheu doze deles, a quem também deu o nome de apóstolos. Lc 6: 12-13

Uma das coisas mais difíceis para uma pessoa é tomar decisões.
O medo do desconhecido, a duvida e a preocupação se vai dar certo ou não nos deixa em um enorme conflito interno.
Fazer ou não fazer? Comprar agora ou esperar? Ir ou ficar? Dizer sim, ou dizer não?
Na verdade, o medo de errar nos impede muitas vezes de tomarmos as decisões.
Seguindo os passos de Cristo aprendemos a tomar as decisões com o coração tranqüilo e calmo.
Jesus, antes de escolher os seus discípulos subiu ao monte para orar, para falar com Deus, para ouvir qual é a escolha do Coração Dele.
Quando buscamos ao Senhor antes de fazer as nossas escolhas, estamos colocando nas mãos Dele todas as nossas preocupações e dúvidas, quando pedimos para o Senhor escolher por nós estamos mostrando a Ele que queremos que a vontade Dele seja feita e não a nossa vontade, Pois entendemos que a vontade Dele é a melhor coisa que tem para nós.
Se estiver com dúvida sobre qualquer coisa, te deixo este conselho:
ORE, e peça para que o PAI escolha pra você, pois ELE tem o melhor.

Que Deus te abençoe Muitíssimo.

Abraços

Elias Rodrigues (www.eliasrodrigues.com.br)

Se Deus falou com você através desta mensagem, faça outros ouvir a voz DELE.. Encaminhe

sábado, outubro 31

UM HOMEM, UMA REVOLUÇÃO.


Idade Média, séc. XVI. A Basílica de São Pedro, em Roma, está sendo construída e para custear as despesas o papa Leão X tem uma brilhante idéia: vender indulgências. Assim, comprando um documento de indulgência assinado pelo Papa, a pessoa garantia seu lugar no céu, e poderia também garantir, desde que comprasse mais indulgências, o lugar de seus familiares vivos ou mortos. Conclama-se o maior marqueteiro da época, o dominicano Tetzel, na Alemanha, e essa bestialidade começa a ser vendida. Tetzel chegava a cantar: “quando a moeda na caixa tilintar a alma do purgatório vai saltar”. O povo pobre e crédulo da Alemanha, enganados pelos truques de prestidigitação (mágica) de Tetzel, e seus dotes propagandísticos, acorre para comprar aos montes. As caixas de Roma se enchem, o Papa Leão X exulta e luxa, e a população se afunda cada vez mais nas trevas da ignorância.

Wittemberg, Alemanha. Um sacerdote lê a Bíblia e a explica para o povo de sua paróquia. Ele fala a língua do povo, e diz que a salvação é apenas através da fé na obra redentora de Cristo, que não pode ser comprada ou vendida, mas se aceita a mesma em arrependimento, convicção de pecados e obediência a Deus. Ele escreve um tratado em 95 teses e o prega na porta da capela do castelo da cidade, local público para que fosse visto pelo maior número de pessoas possível. Era o dia 31 de outubro de 1617, e o homem era Matinho Lutero.

A partir desse episódio estava começando a maior revolução religiosa da história, surgia o Protestantismo. Agora passa a ser ensinado que só a graça é a fonte da salvação; só a fé, é a “mão” que a recebe; só as Escrituras são as palavras de Deus; só Cristo é o Salvador e o caminho para o céu; e só a Deus deve-se dar toda a glória. Eram estes os pilares da Reforma que começavam a ressoar por todo canto. Um homem guiado por Deus fez uma revolução.

Neste mês, quando os Protestantes de todo o mundo lembram desta data, que o mesmo Deus que usou Lutero e lhe deu coragem, dê coragem aos pastores sérios desse país para fazer uma santa revolução novamente, pois o estado da igreja carece. Que pastores e membros se disponham nas mãos do Senhor, pois a igreja precisa. Será que você será o Lutero desta geração? Pregue o evangelho bíblico, fuja dos subterfúgios e invenções modernas, fuja da religião mágica das igrejas neo-pentecostais, e ministérios estranhos modernos, fuja das “igrejas” que só visam dinheiro e bênçãos materiais, volte-se para a Bíblia como única regra de fé e prática, lida e respeitada no seu contexto e mensagem. Volte-se para o evangelho de Cristo e dos apóstolos que pregavam arrependimento e conversão, não um mero levantar de mãos em um culto, mas a transformação da vida em adoração a Deus.

Este é o tempo, esta é a hora. Se você espera grandes coisas de Deus, ouse grandes coisas para Deus.

Joelson Gomes

Graça Plena

sexta-feira, outubro 30

POR REFORMA HOJE



No dia 31 de outubro de 1517, portanto a 492 anos atrás, Lutero apresentava as famosas 95 teses ao mundo. Deflagrava com este ato a maior reviravolta que a história do cristianismo jamais viu igual.

Inconformado com o que o Catolicismo romano tinha feito do cristianismo, e movido por um extremo apego às Sagradas Escrituras, Lutero não pôde ficar calado, e falou em alto e bom som que a Igreja precisava rever seus pressupostos e achar o caminho que havia se perdido.

Hoje, nestes 492 anos passados, estamos sentindo falta de um homem como Lutero, pois parece que a Igreja está perdida de novo. O estado em que vive a cristandade não é alentador, é periclitante. Vivemos a era ideal para que surja um “homem” mas, está faltando um “homem” para a era. A Reforma nunca foi tão necessária de novo. Hoje a Igreja bate cabeça em áreas como:

1- Teologia - A Teologia reformada hoje é peça de museu para a maioria. A falta de doutrina em nossas igrejas é gritante, fora os ensinamentos não bíblicos. O evangelho hoje não é o de Paulo, Lutero, Calvino, J. Edwards, R. Kalley, etc. Campeia a heresia na seara do Senhor.

2- Pregação - Se a teologia vai mal, a pregação que é reflexo da mesma, idem. Onde está o evangelho bíblico? Onde está a exposição bíblica respeitado texto, contexto e hermenêutica? Veja 1Tm 4:13. Inventaram até uma coisa que é “evangelho sem doutrina”.

3- Respeito a Palavra de Deus - Veja a atitude de Josias (2Cr. 34: 19-21), Josafá (2Cr. 17: 7-9), e do povo de Israel (Ne. 8). Hoje a Palavra de Deus é uma coisa qualquer, se quer mesmo é cantar. Até tem aquele mote “O tempo de cantar chegou”. Quantos Louvorzões? Já ouviu falar de Pregaçãozão? Eu não. E ainda dizem que amam ao Deus da Palavra. Como podem se a Pregação a Bíblia é esquecida e a igreja nem sabe abrir a mesma para achar os versículos? É uma lástima.

4- Adoração- Na Reforma de Josias o culto foi restaurado por completo (2Cr. 35: 1-19). Como andam nossos cultos? As coisas são feitas para a adoração a Deus ou vale tudo conquanto que atraia o maior número de pessoas possível? Nossa adoração reflete nossa perspectiva de Deus? O centro do culto é Jesus Cristo? Quando vou ao culto vou DAR meu culto a Deus ou vou RECEBER, BUSCAR minha bênção? Isso mostra a quantas andam as reuniões de hoje.

5- Música - Alguém já disse que uma igreja é modelada pelos hinos que ela canta. Se for assim, devemos antes de cantar qualquer coisa que o mercado “gospels” nos empurre, pensar duas vezes. Esta músicas que só dizem “receba”, e só usam o pronome “EU’, ou a frase “você vai vencer” e a palavra “vitória”, são canções de adoração? Ou são uma cantilena egoísta que só visa dar ares de conquistador a quem canta colocando-o no lugar de Deus e no centro da música? Adoração é dada a quem? A Deus ou quem canta? Quem é o centro das músicas cantadas hoje? Veja o que significa a palavra adoração em um dicionário e compare com que se canta nas igrejas.


É queridos, não é fácil, mas oremos a Deus para termos a coragem de um Josafá (2Cr. 17:6), de um Ezequias (2Cr. 30:14), de um Josias (2Cr. 34: 3-5), de um Lutero. Que tenhamos coragem para afastar tudo o que não agrada a Deus de nossas vida e culto, e assim poderemos dizer que fazemos parte de uma igreja Reformada e Protestante, ou melhor, que fazemos parte da Igreja de Deus. Caso contrário corremos o risco de fazer barulhos e mau cheiro e dizer que é culto ao Senhor.

Joelson Gomes